quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Ter ou não ter


E eu pensando em pensar em você.
Estupidez ordenar, ao consciente, o óbvio.
Lembranças.
Beijos de ar rarefeito.
Abraços de intensidade imensa.
Fragâncias inesquecíveis.
Eternidades vividas em segundos.
Vontades.
Saudade de algo que não tive.
Mas que só se tem
Quem a si mesmo vive.

17 comentários:

HSLO disse...

Gostei muito do seu blog...viu. Voltarei aqui outras vezes. Já sou um seguidor daqui.

abraços

Hugo

Gabriela disse...

Ganhaste também, mais uma nova seguidora (:
Gostei bastante do seu blog poético da alma.
Estupidez pedir ao Sistema Nervoso parar de produzir estímulos que já são automáticos e involuntários, estes que se emergem à medida que o coração acelera...
"Saudade de algo que não tive./ Mas que só se tem/ Quem a si mesmo vive."
Amar é insano e não amar, mais insano ainda... penso assim.
Parabéns.

Erica Ferro disse...

Rafael. =D

Que poesia linda!
É bem verdade que não dá para controlar o incontrolável.
Não dá para se curar da paixão, pois ela penetra a nossa pele, contamina todos os nossos órgãos.
Por mais que corramos, a paixão nos acompanhará até quando ela se cansar.
Enfim, ela é toda imponente.

Grande abraço.

P.s: Olha, que bom ter visto você lá no meu blog, viu?
Você gostou dos meus poemas, é?
Que alegria eu senti ao ler isso.
O poema do 'p' tá fazendo sucesso, por assim dizer.
Fico muito feliz, muito satisfeita.
Enfim, sigo adiante mais confiante.
Ganhaste uma nova seguidora.

brechó trechic baratissimo disse...

realmente, as vezes tenho uma
saudade imensa de algo q nem sei se é bom....
é doido, o coração!!!
Ju.

Agatha disse...

Tenho medo de perder o que mais me importa e sentir saudade depois. Saudade mata, vontade também. E só de ler esse poema sinto calafrios, porque meu receio maior é sentir tal agonia.

Um beijo.

João Romova disse...

Quem a si mesmo vive sequer se perde outra vez por quem nos teve com desdém...

Milla disse...

eu gostei, seus poemas são sempre muito bons e esse não podia ser diferente né?

beijos

Debbys disse...

Opa, escreve muito bem hein moço!!
Parabéns!! ^^
bjsss

João disse...

Há uma eternidade de sentir q não parte. E fica tudo assim, vivendo em nós.

Narinha. disse...

Adoro pequenos poemas que dizem tudo, ainda mais assim, tão romântico, é.
bjs :)

Bárbara disse...

Tem um selo pra você no meu blog!
É o selo "Prêmio Dardos"!
Beijooos

mari disse...

Rafa que tudo seu blog. Me casou um colapso. Amei seu poema. Lindo

Taiane M. disse...

Saudade do que nunca tive ! *-*

Linda poesia... goostei ^^

beeeijos

Isabela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabela disse...

'Mas que só se tem Quem a si mesmo vive.'

Pois é... coisas que a gente nem vive, e tem saudade, como explicar?

[ rod ] ® disse...

é o devaneio sem fim tentar alinhar os pensamentos... abs meu caro.

Maay disse...

Nossa ;X perfeito!