quinta-feira, 22 de abril de 2010

Little butterfly


Borboletas sempre passam e nós nem sequer as vimos. É a mania do não importar constante. Mania que você me mostrou ser o oposto de amar. Mas as borboletas começam a voar e cada borboleta ou voo tem seu brilho único. E, agora, qualquer que seja o voo ou a borboleta, vou me lembrar de você infinitas vezes em qualquer lugar. Porque é na pureza da liberdade ou na essência da beleza que eu te encontro. É a força que o amor tem de transformar a vida e o modo de viver. É a mágica de enxergar o que se vê, e sentir o que se passa. Sem você não tem mais graça.

7 comentários:

Daniel Savio disse...

Bonito e real, mas espero que mesmo este desapego a querer ver além de mim, estas borboletas não parem de me visitar...

Fique com Deus, menino Rafael Cotrim.
Um abraço.

Ninaaa . disse...

"O essencial é invisível aos olhos"
Dá pra aplicar ela nesse caso também. Beeeijos.

- gabs, disse...

"Cada borboleta tem seu brilho único" disse tudo.
Ah, o amor tem sido para mim feito uma borboleta. Às vezes vem me visitar-me, outras só passa tão perto, mas não me toca...
E então, quando passa, nada mais tem graça. Só queria minha borboleta de volta.

Milla disse...

A maioria das pessoas não percebem, mas sempre existem as exceções. E nesse caso são aquelas pessoas que ainda conseguem ver esperança em cada sentimento puro que existe por ai..gostei do texto :)

beijos

Marlene Oliveira disse...

Oi Rafael!
Vim lembrar-lhe que Bárbara http://livrosobrasefilmes.blogspot.com/ faz aniversário hoje! Blog LiVrOs QuE eU jÁ Li :P
Tenha um ótimo dia!

Momentos de distração disse...

Uma borboleta, passou aos meus olhos ao ler, e lagrimas cairam, por lembranças de liberdade e alegria.

Bia Nikita disse...

Um poema perfeito... Borboletas são perfeitas...