sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Brincando com o Amor



É muito cedo pra se brincar de pega pega.
E o amor já se cansou de correr atrás de mim.
Esconde esconde nunca foi minha brincadeira favorita!
Mas é Sua única escolha, embora esquisita.
Saber que a ciranda já roda sem mim,
Procurar em um esconderijo ruim.
O relógio tic-taca devagar,
Mas  pião um dia para de rodar,
E a brincadeira...
Vai parar.

9 comentários:

Daniel Savio disse...

Não, ela nunca vai parar, não enquanto os nossos olhos olharem a luz de certos olhos...

Fique com Deus, menino Rafael Cotrim.
Um abraço

Aline V. disse...

Uma hora o pião para mesmo de rodar e o amor para de esconder... talvez ele esteja até bem a mostra, só precisa abrir os olhos e enxergar!!!

=]

Você devia publicar um livro com as suas poesias... são lindas!

Beijão

Walyson disse...

Lindo poema!
Rafael, põe aqueles botões de compartilhamento nas suas postagens, pra gente poder compartilhar no facebook, twitter, etc. Fica a dica!

Abraços!

Rebeca Postigo disse...

=)
Estou sem palavras...
Belíssimo poema!!!
Amei!!!

Bjs

Erica Ferro disse...

No meu caso, eu é que cansei de correr atrás do amor, rs.

Falando em ciranda... lembrei do livro da Lygia, "Ciranda de Pedra".

Um abraço, querido.

Anônimo disse...

Você escreve muito bem!
Parabéns

: D

Ass: Dany

Jade disse...

Liiiiiiiiiindo! esse é muito perfeito ! *-*

Gabriela Marques disse...

Genial! Perfeita metáfora do Amor e Jogos Infantis.
Principalmente, porque quando amamos somos bobos. Bobos apaixonados.

guilherme disse...

vc é muito boa pra fazer poesia