terça-feira, 21 de julho de 2009

Amor eterno

Furiosa, entrou pela porta sem sequer bater.
Devolveu-me todas as coisas que eu tinha lhe dado.
Pelúcias, fotos, Cartões postais e até mesmo uma das blusas que estava vestindo.
Só que, ainda assim,
Esquecera meu coração na gaveta.
Com a pele esbranquiçada,
E com a voz, bastante, rouca,
Minhas últimas palavras
Foram as primeiras dela:
Que seja eterno enquanto dure,
E que dure a eternidade.


Ps: O próximo post é o primeiro capítulo do conto: "Bailando na noite". Postarei-o capítulo a capítulo. Espero que gostem. Boa leitura

5 comentários:

Débora Andrade disse...

Peeeerfeito *-*

Enzo disse...

"Que seja eterno enquanto dure,
E que dure a eternidade."

êêa, apaixonado!

Rafael Cotrim disse...

;) Brigado deh.


Enzo s2 :P

Mariana P. disse...

Você não me mandou olhar seu novo blog! ¬¬ Mas já que eu te amo e como, resolvi passar aqui por livre e espontânea vontade! :D Adoreeei o poema, lembrei do que vc me disse esses dias! Beijinhoo amor ;*

Rafael Cotrim disse...

;)) marii *-* Obrigado amor. Desculpa por ter esquecido de te mandar :X