terça-feira, 28 de julho de 2009

Aos meus, prezados, leitores


Eu tenho uma mania mesquinha. Costumo jogar a culpa em cima de mim. Não impotra o por quê ou por quem. Sempre, enquanto eu estiver presente, serei o culpado da situação. Eu consigo me culpar se eu vir alguém atirando em alguém, afinal eu não estava ao lado da pessoa que atirou tão rápido quanto o necessário para tirar sua arma. Eu me culpo se um amigo meu termina com sua namorada. Afinal eu não estava ao seu lado o tempo todo e ele escapou para o caminho da traição. Mas ainda assim tem algumas culpas que eu não me importo em assumir. E que fazem valer a pena todas as outras que eu carrego nas costas. Eu consigo me culpar por ser extremamente idiota. Afinal quem, mais, me deixa feliz sou eu mesmo, com minhas idiotices. E eu consigo me culpar, também, pela alegria de muitas pessoas ao lerem algo, aqui, que as ajudem a sorrir. Afinal quem tenta deixar vocês feliz, também sou eu. Como eu dizia, na hora que eu escrevo a culpa é sempre minha, independente da alegria ou tristeza que a pessoa, que está lendo, sinta. Por isso peço que se alegrem, e consequentemente me alegrem também, com meus textos. E mesmo nos mais tristes busquem pelo amor contido nas entrelinhas. Afinal é com alegria que eu tento alegrar vocês...

Ps¹: O próximo post será o 2º capítulo do conto "Bailando na noite".
Ps²: Link do 1º capítulo: Bailando na noite - A vida é dura
Ps³: Se não ler o primeiro, não leia o segundo. É melhor do que ficar sem entender...

20 comentários:

*Lusinha* disse...

Não acho que todas as culpas do mundo sejam minhas, mas tem bastante culpas que tomo para mim - até umas que não deveria.
Bjitos!

Rafael Cotrim disse...

É. Eu faço isso constantemente. mas não me arrependo :) ;x

J. disse...

Culpa. Eu fico feliz por ler seus textos. Pois eles me tocam e parece que eles me entendem. É por isso que estou aqui no seu blog, pois me inentifico. Vou lerr a historiaa.
bjbj
J.

Jéh! disse...

kkkkkkk, Gostei do texto, eu nunca tinha olhado por esse lado. Geralmente sentimos culpa das coisas ruins , mas sempre esqueçemos das coisas bouas que ajudamos à fazer acontecer! =}
bjão! x*

Marina Melow disse...

Comigo é ao contrário, geralmente eu sempre tento cuplar outra pessoa e não a mim, é horrível a sensação de culpa, eu sei, isso e´feio da minha parte, tenho que mudar isso.

P.S: Dica, aumente a fonte, torna a leitura melhor.

beijos.

Mari e Ana disse...

Levar a culpa de tudo é bem comum aqui também ;x Até meus pais brigando é motivo pra culpa vir pra cima de mim. Pior que eu me culpo beem mais que o nescessário. HAHA Sorte com as culpas!
Beijo
Ana

Mayse disse...

*---* Sinta-se culpado mesmo... Pela emoção e pureza que sentimos quando lemos seus textos ;)

Rafael Cotrim disse...

jÉh.. :) Isso é verdade... :S!

Marina, aumentarei a letra nos proximos.

Mari e Ana.. Eh comum mesmo.. ._.

May... Sem palavras heim? :)

Rafael Cotrim disse...

J.. Obrigado por se identificar em meus textos *-* Leia sim... Logo postarei o 2º capitulo do conto.

Milla disse...

tomar culpa na maioria das vezes não é um hábito muito saudável, mas culpa pelos textos eu considero saudável :)
Continue escrevendo..

beijos

Rafael Cotrim disse...

Continuarei Milla. :)

Wevertton disse...

Aii eu não tomo as dores não... sei qundo eu tenho a culpa!! O texto ta maravilhoso, fez eu refletir mais, qnd puder passa la! Postei de novo!

Rafael Cotrim disse...

Valeu Wever :D

Bru disse...

Ah Rafa,eu já não costumo me culpar por tudo.Mas geralmente me culpo pelas coisas erradas.hahaha

Milla disse...

Obg por me desejar sorte :)

Rafael Cotrim disse...

Haha. Bru é comum.

Milla, só quero o melhor pra você. :)

Jessica disse...

Eu também tenho essa mania. Se eu saio com amigos e o programa não é tão bom quanto esperávamos ou ruim, me sinto culpada. Se uma pessoa próxima está mal, sinto que não estou tentando alegra-la suficientemente...

É a vida...
Seu blog cada dia melhor. Parabéns.

Abraço

Camilla Lima disse...

Tenho o mesmo problema que você .Me culpo por tudo
Mas tome cuidado com isso viu? Minha vó sentia a mesma coisa , e começou a ficar doente por isso. Não podia sair na rua , porque se visse uma casca de banana no chão e nao ajeitasse , achava que era sua culpa.. se jogasse algo no lixo , que podia espetar , ou infectar alguem se sentia culpada , se falava algo se sentia culpada .. e assim foi.
Voce escreve muito bem . E fiquei feliz ao ler seu texto . Quiser , comente la no meu tambem

Rafael Cotrim disse...

Obrigado garotas :) Adoro todos os seus comentários :DD

Anônimo disse...

necessario verificar:)